Rapidinha #09 – Tipos de Clima e Problemas Atmosféricos

0

Pronto para entender mais sobre tipos de clima e problemas atmosféricos? O Galileo te ajuda a aprender esse conteúdo!

AS CLASSIFICAÇÕES CLIMÁTICAS
As classificações climáticas atendem a critérios como comportamento térmico, padrões pluviométricos e deslocamentos das massas de ar. Três são, portanto, os grande grupos climáticos:
• Zona intertropical: climas quentes;
• Zona Temperada: climas mesotérmicos;
• Zona Glacial: climas frios ou polares.

CLASSIFICAÇÃO DE STRAHLER
A classificação de Strahler se baseia em dinâmicas das massas de ar e classifica os climas em três grandes grupos:
• Baixa latitude: massas de ar quente;
• Média latitude: massa de ar tropical/polar;
• Alta altitude: massas de ar polares.

PRINCIPAIS CLIMAS
Dez são os principais climas encontrados ao redor do globo. São eles: equatorial, tropical, desértico, temperado, mediterrâneo, subtropical, frio, semiárido, polar e frio de montanha.
O clima equatorial apresenta médias térmicas elevadas, com baixa amplitude térmica e alta pluviosidade. Aparece ao longo da linha do equador e áreas de convergência dos ventos alísios. Esse deslocamento retira a umidade dos trópicos e a levam ao equador, explicando a ocorrência de áreas desérticas em áreas tropicais.
O clima tropical apresenta duas estações bem definidas anualmente: verões quentes e chuvosos e invernos frios e secos.
O clima desértico é marcado por uma grande amplitude térmica diária, com baixos índices pluviométricos. Os grandes desertos são próximos das linhas tropicais, sujeitas a ação de correntes frias.
O clima temperado é um clima mesotérmico, marcado pela grande influência das massas de ar e maritimidade. Em regiões continentais, apresenta grandes amplitudes térmicas, já em regiões com maior maritimidade, as amplitudes térmicas são mais baixas.
O clima mediterrâneo é marcado por verões quentes e secos e por invernos chuvosos.
O clima subtropical é um tipo climático de transição entre as regiões temperadas e tropicais. Com grande amplitude térmica, este clima tende a não apresentar períodos de seca.
O clima frio, também conhecido como subpolar apresenta baixa pluviosidade e grande amplitude térmica anual.
O clima semiárido, com precipitações maiores que nos climas desérticos, aparece em zonas temperadas e tropicais. Sua ocorrência é embasada na irregularidade das massas de ar.
O clima polar, visto próximo aos pólos, é marcado por invernos longos e mais rigorosos. Em suas estações mais quentes, as temperaturas não ultrapassam 10ºC.
O frio de montanha ocorre em grandes altitudes do planeta e implicam na redução da temperatura e da pressão atmosférica local.

OS PROBLEMAS ATMOSFÉRICOS

POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA
Desencadeada pela revolução industrial, a poluição atmosférica fora inicialmente causada pelo emprego de carvão mineral nos sistemas produtivos, o qual fora posteriormente substituída por petróleo. As emissões de plantas industriais em áreas urbanas vem causando cada vez mais danos a saúde das populações humanas.
Também conhecida como smog industrial, a neblina formada por poluentes como fuligem, compostos sulfúricos, cinzas e dióxidos de enxofre se torna ainda mais prejudicial no inverno com a redução das chuvas e as inversões térmicas. O controle de poluentes com, por exemplo, o emprego de catalisadores, é uma das formas de solução, assim como a adoção de combustíveis verdes como etanol e biodiesel e adoção de legislação ambiental para tal matéria. O grande número de carros nas ruas é também um forte agravante da poluição atmosférica.

EFEITO ESTUFA
O efeito estufa é um fenômeno que ocorre naturalmente em função do acúmulo de gases na atmosfera terrestre. Tais gases, em especial os óxidos nitrosos, CFCs, metano e CO2 , impedem que parte do calor recebido pela terra retorne ao espaço.
Dentre os gases do efeito estufa emitidos pelo homem, 76,6% tem suas origens em escapamentos de automóveis, 14,4% são gerados em plantas industriais, 5% são emitidos pelo uso de aerossóis e os 4% restantes são resultantes de ressuspensão.
A intensificação do efeito estufa, além de aumentar vem causando o derretimento das calotas polares, o que aumenta de forma gradativa o aumento do nível dos oceanos, inundando diversas regiões litorâneas.
Em 1992, no Rio de Janeiro, fora realizada a ECO-92. A partir desta conferência, da qual diversos chefes de estados participaram, originou-se a convenção do clima. As reuniões anuais realizadas pelos 180 países que a criaram são denominadas Convenções das Partes (COP).
Cinco anos depois, em Kyoto no Japão, determinou-se através do Protocolo de Kyoto que os países deveriam reduzir suas emissões de carbono em 5,2%. Esta medida, no entanto, entrou em vigor apenas no ano de 2002 em função da resistência de grandes potências a ratificarem o protocolo.
Surgiu neste momento o crédito de carbono. Convencionou-se que uma tonelada de dióxido de carbono (CO2 ) equivale a um crédito de carbono, o qual fora negociado internacionalmente. Os países que mais emitiam poluentes deveriam compensar suas emissões adquirido créditos de carbono de países que mantivessem suas emissões em níveis abaixo das metas.

VEM SER GALILEO!
Deixe seu e-mail abaixo e te mostraremos como ser aprovado na universidade dos sonhos ;D
Fique tranquilo, não mandaremos spam..

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here